segunda-feira, 16 de junho de 2014

Após derrota dentro do Democratas, Rosalba é cortejada por Robinson

De bobo, o vice-governador Robinson Faria (PSD) não tem nada. Depois da reunião do Democratas que alijou a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) de disputar a reeleição, ele se apressou em divulgar nota de solidariedade à atual chefe do Executivo potiguar.

Como quem não quer nada, a nota traz elogios a Rosalba e afagos, apresentando Robinson como ombro amigo depois da "injustiça" sofrida pela governadora no episódio.

Para qualquer analista político, por mais bobo que seja, é um convite velado para que a governadora apoie Robinson. E a melhor forma de fazer isso seria renunciando ao Governo, dando ao atual vice-governador a caneta para crescer na disputa. É possível? Hoje, acho que não. Porém, em política não se pode duvidar de nada.

Veja abaixo a nota na íntegra:

Todo o Rio Grande do Norte conhece a divergência política que tive com a governadora Rosalba Ciarlini no episódio que resultou no meu rompimento e afastamento político no primeiro ano de governo, em 2011. As razões e motivos recíprocos foram divulgados, mas devo lembrar que jamais existiu entre nós desrespeito recíproco, prevalecendo sempre o direito de opinião e de posicionamento partidário.
Ao tomar conhecimento de fatos públicos ocorridos na Convenção do DEM, partido ao qual a governadora Rosalba Ciarlini é filiada desde a fundação, não desejo emitir opinião política, por tratar-se de assunto interno de uma agremiação partidária, nem tão pouco buscar proveito eleitoral.
Como cidadão, lamento o ocorrido. Foi no mínimo um desrespeito e um mau exemplo para a história política do Rio Grande do Norte, cujo futuro depende do comportamento ético e democrático dos eleitos pelas urnas. O pleito de outubro se aproxima e os eleitores terão a oportunidade de reagir ao ocorrido.
O princípio do respeito à cidadania, pluralismo político e dignidade estão consagrados na Constituição Federal Brasileira, dentre os princípios fundamentais do nosso Estado Democrático. Um partido político e seus dirigentes têm o dever de preservar tais valores.
Ao excluir a governadora do direito a concorrer a reeleição por um conchavo político para beneficiar grupos familiares que dominam o Rio Grande do Norte há anos, eles mostraram mais uma vez o pensamento pequeno, antidemocrático e desigual a Rosalba e mais ainda aos eleitores.
Se uma palavra pudesse dirigir aos que foram vencidos na recente Convenção do DEM, repetiria o poeta Jorge Luis Borges: ”Há derrotas que têm mais dignidade do que a vitória”.
Vamos em frente!
Robinson Faria
Vice-governador do RN

Nenhum comentário: