terça-feira, 26 de novembro de 2013

Eleições 2014: oposição se articula sem o PT na chapa


A oposição se articula com vistas às eleições do ano que vem não isolando apenas o Democratas - veja postagem mais abaixo. O PT corre o risco de ficar de fora do processo e pode ter, no máximo, a indicação de um suplente de senador. As articulações hoje podem rifar, inclusive, a indicação do candidato a vice-governador.

O PMDB, no momento, é o rei das articulações, o partido que comanda todas os caminhos da oposição para 2014. É quem deve indicar a cabeça de chapa. Para ter sucesso na sua empreitada, a legenda sabe que precisa do PSB, que tem na figura da ex-governadora Wilma de Faria a líder nas pesquisas. Para ter sucesso, Wilma precisa estar no mesmo palanque dos peemedebistas.

Para a ex-governadora, a vaga no Senado, com a promessa de que o PMDB vai ajudar a bancar a sua caminhada.

É aí que começa a complicar para o PT. O partido da presidente Dilma quer fazer a deputada federal Fátima Bezerra senadora. No entanto, existe uma determinação da executiva nacional contra qualquer aliança com o PSB. E o PMDB estadual sabe que precisa de Wilma. Assim, o PT fica fora de qualquer possibilidade de realizar o sonho de eleger uma senadora por aqui.

Para piorar, a vaga de vice, que seria um prêmio de consolo, pode ir para o PR, do deputado federal João Maia, que tem o próprio nome à disposição. Caberia ao PT, nessa articulação, no máximo, uma suplência de senador. Mas duvido que a legenda aceite indicar o suplente do PSB, que terá candidatura própria à Presidência da República.

Trocando em miúdos: o PT, neste momento, é descartável para a oposição do RN. Não no esqueçamos, no entanto, que é o partido da presidente Dilma e podem vir muitos argumentos de Brasília, capazes de mudar este cenário. Hoje, no entanto, a realidade é essa.


Nenhum comentário: