terça-feira, 29 de outubro de 2013

PT isola PSB, DEM e PSDB e coloca PMDB contra a parede

Em uma nota curta, de poucas linhas, o PT do Rio Grande do Norte isolou de uma vez só os seus grandes adversários e colocou aliados de até pouco tempo em compasso de espera. A resolução da Executiva afasta qualquer possibilidade de aliança com outros partidos que tenham projeto nacional diferentes da legenda, como o Democratas e o PSDB - adversários históricos - e o PSB da ex-governadora Wilma de Faria.

Ao mesmo tempo, a nota do PT deixa claro que também não vai querer conversar com quem fizer alianças com esses partidos, que têm projeto nacional de disputar a presidência da República, contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Isso coloca o PMDB contra a parede, porque a legenda hoje costura uma candidatura que tenha o apoio de todas as legendas, inclusive o PSB da ex-governadora Wilma e do Democratas do senador José Agripino. O projeto dos líderes peemedebistas é o de se lançar candidatura única, de preferência até sem a possibilidade de disputa com a governadora Rosalba Ciarlini.

Quanto ao PT, a legenda só admite conversar com o PSB e o PMDB em uma ocasião: se eles apoiarem o projeto majoritário do partido, de lançar a deputada federal Fátima Bezerra (PT) ao Senado, algo também claro na nota dos petistas. A ideia é evitar que essas legendas criem palanques para o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), assim como para o senador Aécio Neves (PSDB).


Nenhum comentário: