quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Isolamento pode fazer PT rever planos para Fátima em 2014

A decisão nacional do PT mandando que o partido  não se alie de jeito nenhum a DEM e PSB, naturalmente isola a legenda em nível estadual. É que o PSB tem hoje o nome mais forte da oposição para enfrentar a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) em uma possível candidatura dela à reeleição. Trata-se da ex-governadora Wilma de Faria (PSB). E isso atrapalha e muito o principal objetivo do partido em nível estadual: a candidatura de Fátima Bezerra ao Senado Federal.

Wilma hoje é uma espécie de noiva cobiçada, mas pelo fato de ser do PSB, automaticamente está fora da possibilidade de aliança com o PT. E o fiel da balança da oposição, o PMDB, não quer nem ouvir falar em perder a parceria com o PSB.

Trocando em miúdos, o projeto do PT de formar uma chapa forte com direito à derrotar o Democratas, acaba sendo atrapalhado pelo projeto nacional do PSB de lançar o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República.

Fátima Bezerra, que era uma espécie de virtual senadora nas eleições do ano que vem, pode acabar sendo rifada. O grande problema do PT no ano que vem, caso o isolamento se confirme, será renovar os espaços atuais. A própria cadeira de Fátima passaria a sofrer dificuldade de ser mantida.

É claro que daqui até a eleição ainda falta muito tempo, mas o cenário hoje não é nada favorável ao PT. A única saída, a meu ver, vai ser isolar o PSB. Hoje, o PMDB não toparia, mas não podemos nos esquecer da aliança nacional da legenda com os petistas. Aguardemos, pois.


Nenhum comentário: