quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Jornalista Paulo Araújo lança livro dia 7 em Natal



O jornalista Paulo Araújo lança na próxima quinta-feira, (7), a partir das 18h, no Solar Bela Vista, o livro “Como Se Fossem Letras”, uma coletânea de reportagens, entrevistas, perfis, ensaios e crônicas escritas e publicadas em diversos jornais, revistas e sites na última década.

Dividido em cinco capítulos, o livro traz um panorama, com explicações didáticas e exemplos práticos, das várias maneiras de fazer jornalismo sem a preocupação com o factual.

No capítulo de entrevistas, por exemplo, o leitor vai encontrar uma longa conversa travada entre Paulo e o escritor paraibano Ariano Suassuna no Recife. “Ariano falou de coisas inéditas nessa entrevista, tais como o tempo em que morou em Natal, os bastidores da construção literária da peça “O Auto da Compadecida” e o projeto para nunca morrer, diz Araújo.

Em 2008, Paulo Araújo fez parte da equipe de jornalistas brasileiros que criou o primeiro jornal de economia e finanças de Luanda. A experiência acabou resultando num longo panorama sobre a cultura africana, publicado em 2009 na revista da Livraria Cultura. No livro, além dessa reportagem, comparece um bem humorado “Dicionário Angolano” para entender o país africano que mais se parece com o Brasil e os causos de confusão linguística entre brasileiros, angolanos e portugueses.

No Rio Grande do Norte, o jornalista lançou o olhar sobre a região do Seridó, palco de uma das três maiores festas religiosas do Brasil, o desenvolvimento econômico e cultural da cidade de Mossoró e fez uma adaptação da história de Chapeuzinho Vermelho para o Rio Potengi, em Natal, escrita na época em que Araújo era aluno do curso de Estilos Jornalístico, do professor Vicente Serejo, autor do prefácio.



              

Nenhum comentário: