segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Ponto a ponto, o vídeo bombástico que não passou de um traque

A campanha da candidata Larissa Rosado (PSB) publicou hoje no horário eleitoral gratuito da TV um vídeo aonde faz uma série de acusações contra a campanha da candidata Cláudia Regina (DEM). O blog decupou tudo que se fala no vídeo e vai tratar, ponto a ponto. Vamos a ele:

Entra caracteres com voz de locutor: "Notícia de interesse público"

Apresentadora: "Todos são testemunhas de que Larissa está fazendo uma campanha limpa e propositiva. Ao contrário de sua adversária que já foi punida mais de uma vez pela Justiça Eleitoral  por ofender e agredir Larissa. Agora, desesperado com a derrota que se aproxima, o grupo que comanda a prefeitura implantou na cidade uma rede de boatos, agressões, difamações e calúnias contra Larissa. Equipes contratadas pela campanha de Cláudia Regina estão percorrendo os bairros de Mossoró, mentindo e enganando os eleitores. As imagens que vocês verão agora foram gravadas por uma pessoa que trabalhava em uma das equipes e se revoltou com o que está acontecendo. Veja como funciona a rede de mentiras do 25"

NOTA DO BLOG: O texto da apresentadora fala em campanha limpa e agressiva. Não é isso que entende a Justiça Eleitoral, que já condenou a própria deputada, sua mãe, Sandra Rosado, o pai Laíre Rosado e jornalistas empregados seus por vários crimes eleitorais nesta campanha. As multas ultrapassam R$ 160 mil. Isso afora casos isolados de violência não cometidos pela candidata, mas por aliados seus, difamando, mentindo e caluniando quem é ligado ao DEM - inclusive a governadora Rosalba Ciarlini - e até partindo para a depredação, como aconteceu com a kombi do candidato Laurinho Rosado. Vamos ao que dizem esses primeiros trechos do vídeo.

Suposto militante de Cláudia: "A gente está reforçando esse voto para Cláudia Regina porque se comparar as propostas a gente vê que são propostas que não se pode cumprir, né? Tipo, a outra diz que vai colocar ar-condicionado em paradas de ônibus. Aí virou chacota e ela tirou do programa eleitoral. Ela administrou o jornal O Mossoroense e o jornal quebrou. Administrou o Hospital Dix-sept Rosado e está aí: quebrado com o salário atrasado". 

NOTA DO BLOG: O texto da apresentadora fala que essa seria a equipe de Cláudia Regina. Mas não diz em que lugar foi, na casa de quem, não dá endereço. O vídeo em nenhum momento focaliza ninguém. Portanto, essa história de que foi alguém que se revoltou precisa ser melhor contada.  Foi alguém que se revoltou ou é uma montagem mesmo? Isso é para a Justiça apurar. Apenas questiono como jornalista. 

Sobre o conteúdo do vídeo em si, aonde está a rede de mentiras? Quem não sabe em Mossoró que Larissa foi diretora do jornal O Mossoroense e da Casa de Saúde Dix-sept Rosado? Todo mundo sabe disso, inclusive eu. Larissa foi retirada da administração do jornal pelo próprio pai, Laíre Rosado, para que o consultor de empresas José Cristóvão de Lima salvasse a empresa.  Foi levada de lá para a Dix-sept Rosado. E há várias matérias de jornais da época mostrando como foi sua administração por lá. Outra coisa: por que é proibido falar de Larissa como administradora? Não está se falando da mulher ou da mãe, mas da administradora. E é isso que uma prefeita é: administradora. Portanto, verídico ou não, o vídeo não traz em seu conteúdo qualquer tipo de mentira ou crime eleitoral. É nada mais nada menos do que uma tentativa de convencimento ao eleitor. Ou alguém acha que os partidários chegam falando diferente sobre a administração municipal e estadual ao abordarem eleitores de Cláudia Regina? Não há crime nem mentira nisso.

Continuemos com o vídeo...

Apresentadora: "Vários eleitores de Larissa também relatam que estão sofrendo ameaça com a oferta de compra de votos".

Entra vídeo com Joelma Ribeiro, moradora do Tranquilim: "Meu pai recebe leite e ele chegou em casa dizendo que disseram lá onde entra o leite que iria mandar cortar o leite porque lá no Tranquilim é todos Larissa. Foi uma pessoa de Cláudia Regina na minha casa, me ofereceu dinheiro e eu disse que não mudaria"

NOTA DO BLOG: A moradora que faz a denúncia é a mesma que aparece na foto abaixo, que retirei do Facebook, segurando uma das faixas do Dia dos Excluídos. Ela é militante da campanha de Larissa e participou da algazarra que aconteceu no dia 7 de Setembro, aonde deu até polícia. Se a acusação é verdadeira ou não, repito a Justiça é quem vai dizer. Mas poderiam ter procurado alguém neutro. Tem mais: essa é uma acusação gravíssima, sem nada mais do que o depoimento de uma militante. Faltou qualquer prova documental a respeito disso.




Continuemos...

Apresentadora: As equipes da rede de mentiras se reúnem no Shopping Park Center, em duas salas alugadas pelo coordenador da campanha de Cláudia Regina, Neto Queiroz. No vídeo a seguir, você verá uma mulher identificada como Aparecida Delfino, funcionária da prefeitura que no horário dessa gravação deveria estar dando expediente. Aparecida explica como as equipes devem agir caso perguntadas sobre o trabalho que estão realizando:

Entra vídeo com Aparecida: "A empresa que vocês estão trabalhando é a Quixote, é a de Neto. Que Neto agora tem uma agência de publicidade chamada Quixote. O aluguel dessas salas é dele. O que vocês estão fazendo é uma pesquisa sobre a possibilidade de instalar um shopping no Alto de São Manoel. Como vocês estão entrando e saindo está dando na vista. Triste da pessoa que pensar que se esconde de alguma coisa".

Apresentadora: "Nesta gravação de áudio, Aparecida fala que coisas muito piores vão acontecer na véspera das eleições".

Entra áudio com foto de Aparecida congelada: "Porque pode ser que no dia 2 ou no dia 6 de outubro a gente precise fazer algum trabalho de bastidores...  até ideia de Alexandre assim: você quer é ir para lá fazer o que eu não tenho coragem de fazer? Porque o serviço que eles estão fazendo eu não tenho coragem de fazer. Ave Maria, se você não tem coragem de fazer é de matar para lá".

Apresentadora: "Escute novamente: é muito grave o que está sendo tramado".

Repete a fala que supostamente seria de Aparecida.

NOTA DO BLOG: Temos aí vários pontos, caro leitor.O primeiro deles: a estratégia de não dizer que aquele era escritório de campanha não tem nada de errado. Coisa alguma. A campanha de Larissa mesmo tem vários escritórios, inclusive dentro de empresas e de casas de empresários, que funcionam a seu favor e não têm na fachada explicitado: aqui tem um escritório de campanha. O vídeo é um embuste. Tenta apenas criar algum factoide em cima de Neto Queiroz e nada mais. Coisa de amador.

Sobre o áudio, fica difícil de saber se a voz é mesmo a de Aparecida. Escutei com atenção e há indícios fortes de que não seja a mesma pessoa. Além disso, por não  haver imagem, não podemos saber em que contexto foi feita a gravação. Se foi em uma mesa de bar, entre quatro paredes ou ao ar livre. A primeira coisa que deve se esclarecer é se o áudio realmente é de Aparecida. Ouvindo várias vezes, não dá para dizer categoricamente que é dela mesmo. Veja bem: trata-se de áudio e de apenas um trecho de uma conversa. Em nenhum momento é citado o nome de ninguém, muito menos da candidata. Que a Justiça retire a dúvida de nossas cabeças. O áudio é ou não de Aparecida? É coisa para perito. Aproveite e ouça o áudio no vídeo para tirar as suas conclusões. Fica só uma pergunta: por que a parte que não diz nada está em vídeo? E a que tem a suposta ameaça - a ninguém especificamente - está em áudio?

Como o caso está na Justiça, vamos aguardar pelas próximas novidades.



6 comentários:

Anônimo disse...

Eu estou louco que termine esta campanha. Falta pouco.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Ótima explicação, obrigado pelo esclarecimento.. eleitor indeciso precisa saber tudo.

Messias Pereira disse...

Excelente análise. Parabéns por mostrar quem realmente está plantando a REDE DE MENTIRAS em Mossoró.

Anônimo disse...

è meu caro amigo, agora com a palavra o Juiz da propaganda eleitoral. será que isto é uma campanha propositiva? não foi esta candidata que no debate da TCM disse que estava fazendo uma capanha sem ataques pessoais? ao assisti-la com aquela conversinha sobre gradidez, não sei pq só lembrei do Lulinha paz e amor.

Anônimo disse...

Como pode isso tem que ser esclarecido.Na historia de mossoro todos conhecem a administração de sua familia e hoje querer jogar a responsabilidade de sua reputação nos outros que tem ficha limpa e é uma boa pessoa.Isso tem que ser esclarecido.Agora foi que o povo se reuniu e juntou mais força e vamos eleger CLAUDIA REGINA 25