segunda-feira, 30 de julho de 2012

Após esconder a mãe, Sandra, campanha de Larissa agora ‘esconde’ o pai, Laíre


Depois de passar quase todo o primeiro mês de campanha “escondendo” a deputada federal Sandra Rosado (PSB), sua mãe, a campanha da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) a prefeito de Mossoró agora esconde o seu pai, o ex-deputado federal Laíre Rosado (PSB). Ex-deputado estadual por um mandato e deputado federal por três mandatos, Laíre, uma das lideranças da oposição, ainda não deu as caras nas movimentações públicas do grupo.

A ausência de Laíre tem suscitado inúmeras especulações e algumas certezas: o marketing de Larissa está preocupado com o desgaste à sua imagem provocado por membros da própria cozinha da candidata. Uma prova disso é que a deputada Sandra Rosado (PSB) só veio aparecer ao lado de Larissa em suas caminhadas, nos últimos dias.


Escondido
O fato de deixar Laíre escondido na campanha da filha tem a ver com a decisão do marketing para preservar a imagem da candidata o máximo possível com relação ao escândalo dos sanguessugas, que estourou em nível nacional em 2006 atingindo em cheio a imagem pública de Laíre. O efeito foi tão devastador que Laíre encerrou sua carreira política depois disso. O ex-deputado é acusado pela Procuradoria da República em Mato Grosso e no Rio Grande do Norte de ter supostamente desviado milhares de reais em compra de ambulâncias superfaturadas e remédios que nunca foram entregues.

Corrupção
A denúncia de corrupção contra Laíre até agora não foi comprovada, mas certamente será um dos temas do horário eleitoral gratuito. Evitar imagens de Larissa pedindo votos junto com o seu pai tem sido uma preocupação para que o tema não venha à tona tão precocemente. O marketing vai tentar empurrá-lo o máximo possível. Assim, colocar Laíre na campanha seria temerário porque abriria muito espaço para que os adversários explorassem isso politicamente.

Propina
De acordo com a denúncia apresentada na Justiça do Mato Grosso, Laíre teria recebido dinheiro de propina em sua conta pessoa e na conta de laranjas para encaminhar emendas para  a compra das ambulâncias da empresa Planam, pivô do escândalo que ficou conhecido como Máfia dos Sanguessugas. O dinheiro era repassado todas as vezes que as emendas eram liberadas. Depois, o esquema teria ficado ainda mais ousado, fazendo a troca de papéis entre empresas fantasmas e a Fundação Vingt Rosado e a Apamim, ambas controladas por Laíre e sua família. Ao invés de comprar remédios para distribuição gratuita da população, o esquema criminoso ficaria com uma parte do dinheiro e o ex-deputado com outra.

Preocupação
O fato é que o tema preocupa a candidata, a ponto do marqueteiro que comanda a imagem da sua campanha não aceitar que este fosse colocado na pauta da sabatina que a TCM irá realizar com os candidatos a prefeito da cidade. Trocando em miúdos: Larissa vai tentar fugir do tema como o diabo foge da cruz. E faz isso acertadamente: se o povo ligar a imagem dela a de Laíre e a de supostos atos de corrupção, isso pode trazer um desgaste imensurável.


Nenhum comentário: