sexta-feira, 29 de abril de 2011

Aduern denuncia que universidade do Estado tem dívidas acumuladas de 2009

DENISE SANTOS
Do Correio da Tarde

Novos fatos divulgados pela Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (ADUERN), sobre as dificuldades financeiras da universidade demonstram que o problema é bem mais intenso do que parece. Em uma relação de dívidas acumuladas da instituição com alguns fornecedores, encaminhada às Pró-reitorias de Administração e Recursos Financeiros é possível comprovar que a maioria deles, do Campus de Pau dos Ferros, estão com seus pagamentos em atraso desde 2009.

"A situação da Uern é mais complicada do que muita gente imagina. O campus de Pau dos Ferros é a prova do tamanho desse problema. Há dívidas em aberto desde 2009 e vale salientar que são fornecedores de extrema necessidade para o andamento normal da universidade", preocupou-se Flaubert Torquato, presidente da Aduern.

Em contato com a nossa reportagem, o diretor do Campus de Pau dos Ferros, Gilton Araújo, revela que está bastante preocupado com a situação. "Essa fase que estamos passando está sendo bastante difícil. Há 4 anos a frente do campus de Pau dos Ferros nunca tínhamos chegado a uma situação como essa. As dívidas estão ficando acumuladas e alguns débitos chegam a mais de 3 anos. Até sair para fazer comprar como pessoa física é difícil para mim, por que, normalmente acabo sendo cobrado em nome da instituição", desabafa.

Ainda de acordo com o diretor do campus de Pau dos Ferros, as informações repassadas pelas pró-reitorias de administração e de finanças da universidade é que todas essas dívidas estão sendo acumuladas em função da redução e contingenciamento do orçamento da instituição. "Mensalmente encaminhamos ofícios e solicitações às reitorias responsáveis pelos pagamentos, mas a informação que recebemos é que todas essas dívidas são frutos da redução do orçamento da universidade e, além disso, dos contingenciamentos frequentes".

A reportagem do CORREIO DA TARDE teve acesso com exclusividade a uma lista que mostra que, pelo menos doze fornecedores do Campus de Pau dos Ferros, estão sem receber, alguns, há mais de dois anos. Serviços básicos como aluguel de cadeiras, lavagem e polimento de veículos, compra de material de construção. Notas com valores baixos e que aguardam por pagamentos.

"Esse problema não acontece somente no campus de Pau dos Ferros. Estamos passando por isso em toda universidade. É preciso que o Governo do Estado se volte para a instituição e encontre, junto conosco, a solução para esse problema que é de todo o estado", ressalta Flaubert.

Em contato com o diretor de Planejamento da Uern, Fábio Lúcio Rodrigues, as dívidas são reconhecidas pela instituição e serão pagas. Mas argumenta que tudo depende dos repasses financeiros feitos pelo Governo do Estado a Uern. "O nosso orçamento é feito anualmente e dividido em cotas mensais. Baseado nesses valores a gente se programa para efetuar os pagamentos aos nossos fornecedores. A nossa dificuldade é que, em alguns meses, por problemas no orçamento do estado, essas parcelas chegam com alterações e nós não conseguimos honrar esses compromissos. Nesses meses, somos obrigados a eleger prioridades para que a universidade continue funcionando", explicou.

Fábio Lúcio tranqüiliza os fornecedores informando que todas as dívidas serão pagas. "Todas essas dívidas são reconhecidas pela universidade. Já estamos chamando os fornecedores para agendamento dessas dívidas que serão pagas assim que tivermos contingente suficiente", ressaltou.

O reitor Milton Marques de Medeiros disse que tem buscado junto ao Governo do Estado solucionar os problemas financeiros da instituição. "Estamos engajados em resolver esse problema. Confiamos que essa é uma época difícil que a Uern com sua grandeza e de todos que a faz, passará. Mas é preciso união e boa vontade de todos", frisou.

* Publicada hoje no jornal CORREIO DA TARDE (www.correiodatarde.com.br). O jornal traz documento com o demonstrativo financeiro das dívidas de 2009

Nenhum comentário: