segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Que tal uma CPI para investigar os milhões recebidos pela Dix-sept Rosado?

Alguns vereadores da Câmara Municipal de Mossoró, que têm ameaçado o Executivo com CPIs por causa do repasse – ou seja, uma parte dos vereadores briga por dinheiro – bem que poderia aproveitar um fato concreto e abrir uma investigação séria. Por que não procurar saber como uma instituição que recebeu milhões e milhões ao longo dos anos chegou à quebradeira de agora? É o caso da Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Isenção
Se os vereadores abrirem as duas CPIs talvez haja alguma credibilidade no trabalho de “investigação”. Caso contrário, vai ficar na cara que se trata de perseguição política mesmo. Nada mais do que isso.

Processos
Caso os vereadores não tenham “elementos” para a CPI da Dix-sept Rosado, sugiro procurar o Ministério Público Federal ou mesmo a Justiça Federal. Lá existem cinco grandes processos envolvendo o nome da instituição com lavagem de dinheiro da chamada Máfia dos Sanguessugas.

Emendas
Num dos processos, o Ministério Público Federal conseguiu o bloqueio de bens por duas vezes, do ex-deputado federal Laíre Rosado, que até hoje é o diretor-superintendente da Casa de Saúde. À época, ele teria utilizado a instituição, segundo a denúncia, para “trocar” notas fiscais com empresas do Mato Grosso. Ao invés de enviarem remédios para a Dix-sept Rosado, de acordo com o MPF, as empresas enviavam o dinheiro de uma suposta propina. Foram encontrados nove depósitos nas contas de Laíre e outros tantos nas contas de laranjas.

Nenhum comentário: