quarta-feira, 24 de março de 2010

Sociedade se une em torno da luta por recursos da saúde em Mossoró

Uma ampla reunião ontem à noite tratou de um tema que merece a atenção de todos os mossoroenses: a sangria dos recursos da área de saúde. A coisa é tão grave que chegamos a novembro de 2009 com um déficit de quase R$ 6 milhões por causa da invasão de municípios.

Só para o leitor ter uma ideia, Assu, por exemplo, tem pactuado com Mossoró R$ 108.236,37. Ou seja: por todos os procedimentos de saúde realizados na segunda cidade do Estado, são descontados da "Terra dos Poetas" R$ 108,2 mil por mês. Até aí seria ótimo, se a conta batesse. O problema é que em 2009, Assu se utilizou de R$ 705.755,72 em serviços. Trocando em miúdos: só aquela cidade deixou um déficit de R$ 597.519,35. De onde saíram esses recursos? Da prefeiturade Mossoró.

Outro exemplo: Serra do Mel tem pactuados com Mossoró R$ 43.637, mas consumiu em 2009 R$ 271.032,60, ou seja, pagou sete vezes a menos do que o que consumiu. A prefeitura fica em um mato sem cachorro: se deixar de atender o Ministério Público ameaça com uma ação na Justiça, se não parar de atender pode entrar em colapso por falta de recursos.

A sociedade de Mossoró parece disposta a não aceitar que essa sangria continue. Ontem, foi formada uma comissão envolvendo nada mais nada menos do que sete dos mais representativos setores com o objetivo de iniciar uma série de atividades em favor da solução deste problema que não tem cor partidária, ideológica ou religiosa. A saúde é um bem de todos e Mossoró não poderiadeixar de reagir a isso. O trabalho da comissão deve começar imediatamente. Terão membros prefeitura, Câmara Municipal, Conselho de Saúde, prestadores de serviços privados e públicos, entidades médicas, entidades religiosas, maçonaria e universidades.

Nenhum comentário: