quarta-feira, 24 de março de 2010

Mandato de Mineiro fica a perigo com decisão do TRE

Não é apenas o PMDB que tem de se preocupar com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de impedir coligações diferentes na majoritária e proporcional. O Partido dos Trabalhadores (PT) já faz as contas de quantos votos serão necessários para reeleger o ótimo deputado - diga-se de passagem, Fernando Mineiro (PT).

A legenda já havia anunciado que para deputado federal aceitaria a coligação, porém para deputado estadual preferia sair sozinho ou no máximo com partidos pequenos. O raciocínio é simples: com partidos maiores, o PSB corria o risco de ficar sem nenhuma cadeira na Assembleia Legislativa. Agora, o quadro é irreversível: não dá mais para fugir dos aliados.

A situação de Mineiro torna-se complicada porque o seu potencial eleitoral tem praticamente permanecido o mesmo nas últimas campanhas: cerca de 35 mil votos. Na chapa pesada formada por PSB, PT e PR, ele precisaria de no mínimo 42 mil votos para garantir uma cadeira. Algo complicado, entendem os petistas.

O PT do Rio Grande do Norte vai precisar de muitas calculadoras e de reforços à candidatura de Fernando Mineiro. O problema, no entanto, é que muitas lideranças já externaram que não irão para a disputa sem chances de eleição. Em uma chapa pesada como a que vem por aí, o quadro tende a ficar realmente muito difícil.

Um comentário:

Pádua Campos disse...

Não é só o PT que está com medido do quoficente eleitoral mas outros partidos poderão também perde espaço . é complicado .