domingo, 20 de dezembro de 2009

Pela primeira vez, em 41 anos, vestibular da Uern é cancelado

Está cancelado o vestibular da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). O concurso, que teria inicia na manhã deste domingo chegou a ter suas provas aplicadas em algumas salas, mas ao final foi totalmente suspenso. Uma nova data será marcada.

A empresa realizadora do evento, a ACOP - Assessoria de Concursos e Órgãos Públicos - não deu justificativa aos alunos. A primeira versão corrente em algumas das salas do campus central, em Mossoró, foi de que um acidente na Avenida Leste Oeste teria atrasado a chegada das provas. No entanto, enquanto algumas salas recebiam esta informação, em outras a prova já estava sendo aplicada.

Uma funcionária da ACOP foi quem deu a notícia aos candidatos a uma vaga no vestibular. Justificando apenas que "houve muitos erros no banco de dados", ela anunciou que uma nova data seria marcada para o concurso, sem precisar quando.

A Uern ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto, o que deverá fazer nas próximas horas.

Ao todo, cerca de 19 mil candidatos disputavam as 2.332 vagas na universidade.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Em reunião da bancada, Agripino defende saída do governador do DF


Os Democratas vão propor duas alternativas para o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, na reunião da comissão da Executiva Nacional do partido, marcada para esta terça-feira (1°), às 16h. Ou a expulsão sumária do governante do DF ou a abertura de um processo disciplinar que dará o prazo dez dias para a produção e votação do relatório. O assunto ficou decidido após reunião da bancada do partido no Senado, que começou por volta das 11h e terminou agora há pouco.

O líder do partido no Senado, José Agripino, falou com a imprensa.

"O clima no partido é ruim. O conjunto de denuncias é muito grave e o governador Arruda não tem mais condições de permanecer no partido, mas seguindo a minha responsabilidade de líder, preciso levar a opinião da bancada até a reunião da Executiva Nacional. E a opinião da bancada no Senado é de equilibrio. Uns pedem a expulsão sumária, outros querem 10 dias de prazo para a defesa do Governador".

"O fato é doloroso para o partido, mas não vamos jogar a sujeirta embaixo do tapete como fez o PT. Não vamos esperar a decisão do Supremo Tribunal Federal para tomar uma decisão partidária. O partido Democratas não se omitirá".

"Não mudei a minha opinião, as denúncias são gravíssimas e não vejo condições do governador Arruda se manter na legenda. Mas o direito de Defesa ele terá, dentro ou fora do partido.".