sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Sandra já havia 'exonerado' cargos comissionados antes de decisão do TSE

A deputada federal Sandra Rosado (PSB) está tão certa de que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iria cassar a prefeita Fafá Rosado (DEM) por conta da sua participação em um evento do antigo Cefet, que já tinha até ameaçado de exoneração uma detentora de cargo comissionado da prefeitura de Mossoró.

A pessoa em epígrafe é a coordenador da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alto de São Manoel, Aninha Borges. Em evento social na cidade, Sandra discutiu feio com Aninha porque esta disse que a deputada desistisse de tentar ganhar a prefeitura no tapetão.

Em alto - e põe alto nisso - e bom som, Sandra Rosado disse a Aninha que "quando Larissa assumir - em caso de cassação de Fafá - você vai ser a primeira da lista que eu vou botar para fora". O episódio causou constrangimento geral durante a festa de um famoso colunista da cidade.

Com a decisão da ministra Carmen Lúcia, de sequer receber o recurso da coligação Mossoró Pra Você, eis que a deputada vai ter de aguardar pelo menos mais três anos para demitir Aninha ou qualquer outro cargo comissionado. Ainda cabe recurso, é verdade, mas diante da decisão da ministra, ainda não encontrei ninguém na rua que tenha coragem de apostar um barão furado na mudança.

Sendo assim, o sonho da deputada Sandra de ter o controle da prefeitura de volta deve demorar mais quatro anos. Há dezesseis anos, a parlamentar não ganha a disputa pelo comando do município.

Nenhum comentário: