quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Vereadores cobram participação do Governo no financiamento da saúde de Mossoró

Debate sobre saúde pública dominou grande parte da sessão desta quarta-feira (16) da Câmara Municipal de Mossoró. Em discurso na tribuna do plenário, o vereador Daniel Gomes (PMDB) cobrou presença no Legislativo do secretário estadual de Saúde, George Antunes, para esclarecer impasse entre Governo do Estado e Prefeitura de Mossoró.

Isso porque, segundo o vereador, as duas esferas de governo divergem sobre custeio de serviços de saúde em Mossoró. A Prefeitura atribui responsabilidades ao Governo do Estado e vice-versa. “Por isso, precisamos reunir autoridades de saúde do Estado e do Município, aqui na Câmara, para discutirmos o assunto em busca de uma solução”, disse Daniel Gomes.

Segundo ele, Mossoró é sobrecarregada no financiamento da saúde pública devido à desatualização da Programação Pactuada e Integrada (PPI) e da tabela de remuneração do Sistema Único de Saúde (SUS), complementada pelo Município sem apoio do Governo do Estado, que, segundo ele, não tem esse mesmo tratamento com Natal.

Daniel Gomes informa que o próprio secretário George Antunes confirmou presença na Câmara de Mossoró, em audiência de vereadores com a governadora Wilma de Faria (PSB), há cerca de um mês, em Natal. “Portanto, queremos que ele cumpra esse compromisso e venha esclarecer se é o Governo que deve à Prefeitura ou o contrário”, cobra.

Colapso
O debate se faz necessário, segundo Daniel Gomes, por conta do risco de colapso financeiro do sistema de saúde de Mossoró, motivado também pela sobrecarga de atendimento de pacientes de outros municípios do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba, sem a devida contrapartida financeira. “Portanto, precisamos fazer um ajuste de contas”, frisa.

Como Daniel Gomes, outros vereadores lamentaram a sobrecarga de Mossoró na área de saúde e cobraram a presença na Câmara de George Antunes, que, segundo o vereador Genivan Vale (PR), não tem respondido aos contatos do Legislativo. “Ele garantiu que viria, que poderia marcar a data, mas não dá resposta aos nossos telefonemas”, lamentou.

Nenhum comentário: